segunda-feira, 7 de setembro de 2015

ABANADOR



















Subiu a temperatura

Da jura, do maldizer

O gelo vai derreter

Nas profundezas do mar

 

O homem vai acabar

Com os recursos da terra

Não cansa de fazer guerra

Só pra contar os feridos

 

Oceanos entupidos

De lixo de experiências

Arrisca a própria existência

Com mania de grandeza

 

Insulta a natureza

Que já lhe manda sinais

O pior dos animais

Atira no próprio pé

 

O aumento das marés

As altas temperaturas

Pobres gerações futuras

Não verão um pé de pau

 

Beberão água de sal

Desenganados da vida

A terra desmilinguida

Implora pelo seu manto

 

É mãe que chora seu pranto

Por conta do filho ingrato

Que botou fogo no mato

Pra semear de capim

 

O resultado no fim

É a terra derreter

E o homem a se arder

Sem ter um abanador!!!

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário