sábado, 21 de julho de 2012

A LENDA VAIDOSA

Diz a Lenda, que uma Lenda muito vaidosa, inconformada com o descaso do povo com sua Lenda, pois, vivendo à beira do esquecimento, resolveu certo dia abandonar sua Lenda e, numa atitude Lendária, criar uma Lenda que jamais fosse esquecida. A Lenda seria de outro planeta. Lenda de causar arrepio na mais Lendária das Lendas. Foi um reboliço Lendário. Todas as Lendas se revoltaram enciumadas; ora mais, o que deu nessa Lenda? Andou tendo pesadelos? - Precisamos renovar as Lendas. Estamos todas envelhecidas e fora da mídia, disse a Lenda rebelde. - Não se cria uma Lenda assim, aponta-lhe o dedo, uma Lenda autoritária. - E você sabe como começa uma Lenda? Perguntou-lhe a Lenda que acabara de criar a Lenda; - Nunca se sabe ao certo, Lenda é Lenda. Quando me entendi por Lenda eu já era Lenda, retrucou a Lenda mais conservadora. O Lendário museu ficou em polvorosa. Lendas que ha séculos não tiravam remela, já acordavam perguntando: o que foi, o que foi? Foi marcado então, diz a Lenda, um Lendário julgamento interrogatório, em desfavor da relicária Lenda. Todas as Lendas se reuniram no Lendário calabouço, com suas perucas de bobs e seus guarda-pós mofados. Foi uma catinga Lendária jamais vista ou sentida, até pela mais Lendária das Lendas. A Lenda-Mor, já moribunda, então eleita pelo Concílio das Lendas, cheia de ácaros e demais parasitas, veio ter com a Lenda transgressora. Senhora Lenda, disse-lhe a Lenda-Mor, moribunda: de onde tirastes essa Lenda, que nem a mais Lendária das Lendas, no caso eu, se pôs a conhecer? Não existe qualquer registro da historia da tua Lenda. A Lenda subjugada então lhe respondeu: Toda Lenda nasce de uma mentira bem contada, não se sabe por quem. Pelo menos a minha, tem autoria! A Lenda pagou caro pela rebeldia. Retornou para sua Lenda, condenada que foi a um século de mofo, um milênio de esquecimento e mais uma década de prestação de serviços à comunidade literária, espanando livros empoeirados no Museu das Lendas.

5 comentários:

  1. Muito bom este seu escritos(como os outros também) Esse vai ser lendário. Parabéns "tio". Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado meu sobrinho!!!! heheheheh

      Excluir
  2. Grande amigo, filosofou no seu novo escrito. Gostei bastante de sua "criação lendária". Nada melhor para lembrar do esquecimento e do descaso que existe com a leitura em nosso país.
    Mais uma vez parabéns.

    Evaldo Vasconcelos

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Muitíssimo obrigado meu caro amigo, você, sempre colaborando com meus escritos. Grande abraço!!

      Excluir